EXPO AMPARO MARÇO 2012

Depois de uma semana da exposição é que arrumei um tempinho pra fazer uma breve resenha dessa exposição.

Algo marcante foi a presença de muitos juízes criadores do CAFIB que estavam expondo seus cães. Achei bem interessante a postura de levarem seus cães para de certa forma serem julgados também pelo público presente. Foi a primeira vez que puder ver uma participação do canil Amparo expondo muitos cães, o que na minha opinião foi o grande destaque do evento.

Além de Kauana III do Amparo que foi julgada como melhor exemplar (Melhor Absoluto) da exposição, houve outros animais de muito alto nível que somaram para essa ótima amostra do resultado de seleção do Canil Amparo.
Odara IV do Amparo
Moleque IV do Amparo
Mufasa IV do Amparo
Kabala III do Amparo
Iuca III do Amparo

De uma forma geral as fêmeas tiveram melhor desempenho nos testes de temperamento do que os machos.

Em questão de homogenidade o canil Itanhandú deixou a melhor impressão, principalmente entre os cães Zeus, Zenon e Bravo, cabeças muito típicas e com características muito bem fixadas.

O melhor temperamento foi Arumã do Itaipu, criação do Sr. Newton Filizola, um cão ainda jovem que tem tudo para ser um grande raçador, pois tem muito boa estrutura e temperamento.

O Canil Embaré do também juíz-criador Pedro Carlos Borotti, apresentou seu trabalho de seleção através de 2 exemplares de muitíssima qualidade, Garota do Embaré e Galã do Embaré

Outra particularidade foi o grande número de cães com marcações brancas.

Uma coisa que percebo já há algum tempo são as tendências morfológicas que transitam dentro do que estabelece o padrão da raça. Como por exemplo a Cabeça Braquicéfala, grande, pesada. De perfil mostra: focinho de comprimento praticamente igual ao do crânio;
Mesmo avaliando em conjunto, vezes se valoriza mais o focinho que tem proporção exata com o crânio, vezes o que se destaca é a massa grande, pesada com ocipital bem saliente. Minha observação é que atualmente o aspecto da proporção focinho x crânio é mais exigido e valorizado, até aí tudo bem, desde que nessa busca não seja negligenciado o aspecto braquicéfalo da cabeça, senão a consequência negativa dessa tendência é se ter muito focinho e pouca massa.

Estou fazendo esse comentário baseado na minha ainda rasa experiência como criador mas com a lucidez de ainda saber somar 2+2.

Eu levei 2 cães;
Balkan Fila Roots - é um jovem macho de 1 ano e 3 meses que tudo indica que será testado como reprodutor ainda esse ano. O principal motivo de levá-lo a Amparo foi para que pudesse ser analizado pelo CAFIB. Ele foi aprovado pelo Sr. Airton Campbell (juiz e presidente do Cafib). Durante a análise de fenótipo e temperamento ele mostrou sistema nervoso equilibrado e temperamento firme, já na exposição ele foi inseguro quando o cobaia levantou a luva, partiu pra cima mas refugou. Esse é o risco de apresentar um cão jovem, vindo de uma viagem de 15 horas e nunca ter visto uma luva. No mais ele teve uma qualificação muito boa quanto ao fenótipo e levou a premiação da classe NOVOS MACHOS.

Lara Chão de Goiás - é uma cadela que sempre me acompanha nas exposições, ela sempre impressiona por sua robustez e temperamento forte. No entanto o páreo estava duríssimo com a melhor representação das 11 cadelas adultas matrizes dos melhores canis do Brasil, tanto que todas tiveram qualificação Bom e Muito Bom. Ela não ficou entre as 3 primeiras mas como as demais recebeu medalha pelo Bom conjunto de temperamento e tipicidade.

Um comentário:

  1. Robson Freitas11 de julho de 2012 08:26

    Muito bom a resenha sobre a exposição. Apesar das fotos não mostrarem muito, gostei do que vi e fiquei bastante interessado em ver melhor esse seu macho.

    E concordo plenamente com seu comentário sobre a cabeça do fila, tenho conversado com muitos criadores que estão com a mesma percepção, é um aspecto que temos que observar com cuidado.

    Robson Freitas

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial